Skip to content

Filmes assistidos – junho de 2012

05/07/2012

APENAS UMA NOITE (Last Night, Massy Tadjedin, EUA, 2012) — Utiliza um clima sóbrio e refinado para falar sobre a possibilidade da traição, com ótimos diálogos e bom elenco, mas sem julgamentos ou a intenção de mostrar um caminho. Nota 7,5
.

A DELICADEZA DO AMOR (La Délicatesse, David e Stéphane Foenkinos, França, 2011) — Poderia ser apenas um romance bobo se não fosse tão singelo e não tivesse o charme típico de comédias românticas francesas. Possui uma história simples e batida mas faz muito bem aquilo que se propoe. Nota 7
.

DEUS DA CARNIFICINA (Carnage, Roman Polanski, França/Espanha/Polônia/Alemanha, 2011) — A característica teatral é muito forte, mas o texto cheio de nuances e atores inspirados, compensam. Destaque para Kate Winslet e Christoph Waltz, inpagáveis. Nota 7,5
.

A LEI DO DESEJO (La Ley del Deseo, Pedro Almodóvar, Espanha, 1987) — Possui toda a cafonice divertida dos primeiros longas do diretor e uma história que parece seguir uma cartilha de gênero, mas cujo roteiro consegue dizer bem mais. Nota 8
.

NOIVO NEURÓTICO, NOIVA NERVOSA (Annie Hall, Woody Allen, EUA, 1977) — É uma comédia romântica mas na verdade uma grande reflexão sobre relacionamentos e a visão de Allen sobre a vida novaiorquina na década de 70. Inteligente, metalinguístico e surpreendente. Nota 8,5
.

PROMETHEUS (Idem, Ridley Scott, EUA, 2012) –A história acerca da busca da origem da vida, o clima e o visual incríveis, e a ligação com a série Alien poderiam ter rendido uma obra-prima se o roteiro tivesse ido a fundo na sua premissa. Depois de dois primeiros atos muito bons, o terceiro mostra que Prometheus é apenas um sci-fi de terror B.  Um bom filme que deveria ter sido muito mais. Nota 6
.

SOLTEIROS COM FILHOS (Friends with Kids, Jennifer Westfeldt, EUA, 2011) — Se equilibra bem entre o drama e a comédia e aborda de forma madura e cuidadosa um assunto pertinente e atual. Só falha no finalzinho, quando se rende a conceitos de exemplares tolos do mesmo gênero. Nota 7

OS ÚLTIMOS PASSOS DE UM HOMEM (Dead Man Walking, Tim Robbins, EUA, 1995) — Susan Sarandon e Sean Penn estão soberbos num filme que consegue manipular o espectador sem enganá-lo e que escolhe um lado sem ser planfetário. As emoções que ele provoca é que mandam o recado. Nota 8

WEEKEND (idem, Andrew Haigh, Reino Unido, 2011) — Parece uma história de despedida mas na verdade é sobre a descoberta de si mesmo. É tudo tão sincero e emocionante que até sua marcante característica indie acaba sendo sublimada. E nunca foi possível se envolver tanto em apenas um fim de semana. Nota 8
.

Também poderá gostar de:
Filmes assistidos – maio de 2012
Filmes assistidos – abril de 2012
Filmes assistidos – março de 2012 

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: