Skip to content

Game of Thrones 2×02: The Night Lands

06/04/2012


Com esse segundo episódio vazando logo após a exibição do primeiro, ficou um tanto clara a opção de dar destaque aos novos núcleos e personagens que lutarão ou apoiarão os muitos outros que almejam o trono para si. Apesar de ainda achar que há um excesso de personagens e histórias paralelas, esse problema só tende a diminuir após uma temporada e um maior entendimento daquele universo e da sua linguagem pouco televisiva e extremamente fiel ao texto original.

Se na premiere passamos a conhecer Stannis Baratheon e sua corte religiosa e burocrática, dessa vez fomos apresentados também aqueles que o apoiarão na guerra, como o pirata cheio de intenções escusas para com a Rainha. No entanto, o mais intrigante continuou sendo a estranha sacerdotisa Melisandre. Me pergunto se ela realmente acredita naquilo tudo que esbraveja e profecia ou se é apenas uma oportunista, buscando influência e uma posição mais confortável naquela sociedade.

Outro que saiu em busca de aliados foi Theon Greyjoy, que decidiu buscar o apoio da família que não vê há anos. Aqui, apareceu a carga de daddy issues que quase não existia em Game of Thrones, mas é tão comum nas séries de TV. Como esperado, houve muito ressentimento e ciúmes mas confesso que não entendo direito as razões por trás daquilo tudo. O mais esquisito foi a moça que se deixa molestar pelo próprio irmão. Seria algum tipo de auto-afirmação num meio majoritariamente masculino? Achei meio over, mas nada que incomode muito.

Enquanto isso, foi interessante ver como Tyrion já chegou a King’s Landing preparado com uma agenda contingencial e ao mesmo tempo de auto-proteção. Ele sabe que o cargo de Mão do Rei é perigoso – mesmo que a morte dos dois últimos tenha sido causada pela sua família – e por estar acostumado com pessoais desleais (e talvez ser uma delas), sabe reconhecê-las e afastá-las. Ao mesmo tempo, demonstra firmeza e jogo de cintura para lidar com a irmã que agora parece estar perdendo um pouco sem rumo.

O restante novamente veio com pouca relevância. A Khaleesi continua faminta e presa no deserto. Jon Snow ainda mostra certa impaciência com o amigo que queria apenas ajudar uma pobre coitada na qual está interessado. E Arya finalmente abriu o jogo sobre sua identidade para o filho bastardo do Robert, aquele que, de fato, é o Rei por direito. Pena que em Westeros não existe o exame de DNA.
.

Também poderá gostar de:
Game of Thrones 2×01: The North Remembers
Game of Thrones 1×10: Fire and Blood
Game of Thrones 1×09: Baelor

4 Comentários leave one →
  1. Miro Oliveira permalink
    08/04/2012 21:19

    Correção: Gendry, “o filho bastardo do Robert”, NÃO “é o Rei por direito”; a lei em Westeros não reconhece direitos aos bastardos…
    Sobre a irmã do Theon deixar-se molestar, isso certamente serà explicado e explorado, pois no livro o é e bem mais evidentemente (o que estranhamente a HBO não quis reproduzir, embora prefira acentuar a pornografia não existente no livro)

    • 08/04/2012 23:04

      Miro,

      Obrigado pelo esclarecimento. Não me lembrava de terem mencionado isso na série, mas ainda é estranho que tenham mandado matar aqueles bebês se os filhos bastardo do Robert não têm direito a nada. Sobre a irmã do Theon, é bom saber que há uma explicação por trás, da forma que eles fizeram ficou apenas esquisito. Obrigado pro comentar.

Trackbacks

  1. Game of Thrones 2×03: What Is Dead May Never Die « Melhores Coisas
  2. Game of Thrones 2×05: The Ghost of Harrenhal « Melhores Coisas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: