Skip to content

Em que pé estão as estreias da última temporada?

23/12/2011

Antes do início da última fall season, publiquei aqui dois posts, partes 1 e 2, sobre as estreias que viriam e aquelas que mais me chamaram a atenção. Agora, faço aqui um apanhado sobre em que pé estão essas produções, quais vingaram, quais flopparam e quais fizeram a cabeça deste blogueiro. Se as comédias não deram em nada que pudesse me cativar, pelo menos os dramas fizeram a sua parte e trouxeram ótimas novidades. Tudo baseado somente na minha opinião, ou seja, a certa.

  • 2 Broke Girls – Esse humor de sitcom já ficou tão datado que chega a irritar, principalmente nessas séries lixo da CBS. Aqui, todo mundo fala gritando e o pior, o roteiro é extremamente racista. Não passei dos dois primeiros mas a temporada já foi encomendada.
  • American Horror Story – Eu estava curiosíssimo para assistir e não me decepcionei. Uma série estranha, totalmente freak, não dá medo como prometiam, mas incomoda e, quem diria, emociona. Se for vista sem pretensão, é diversão pura. Já renovada pro segundo ano.
  • Boss – A narrativa é lenta mas a série é classuda, o elenco manda muito bem – principalmente Kelsey Grammer – e os diálogos sempre muito bem escritos. Já tem duas indicações ao Globo de Ouro e a segunda já foi encomendada.
  • Charlie’s Angels – A produção é super capenga, os atores fracos e o roteiro preguiçoso, por vezes risível.  Não passou de sete episódios.
  • A Gifted Man – O casal principal é ótimo e atua muito bem, mas no fundo essa série é só mais um procedural drama desfarçado com um tema sobrenatural.
  • Grimm – Abordagem supostamente sombria da obra dos irmãos Grimm na verdade revelou-se algo trash e preso aos casos da semana. Temporada completa já acertada.


  • Hart of Dixie – Essa série é o CW voltando a fazer coisa boa depois de muito tempo. A protagonista pode ser meio insossa, mas a série é de uma fofura enorme, os personagens são simpáticos e a história sempre amarradinha. Um ótimo passatempo.
  • Hel On Wheels – Esse blogueiro só viu o piloto e achou tudo muito chato. Tudo é meio over e pretensioso, faltando até um pouco de personalidade. Ainda não há informações sobre a próxima temporada.
  • Homeland – Melhor série nova de longe! A narrativa é rápida, o drama é comovente, a protagonista é a melhor personagem da temporada e a Claire Danes samba na cara de todo mundo. Lidera as indicações ao Emmy.
  • New Girl – A Zooey Deschanel já era má atriz quando ocupava apenas o mundinho indie. Agora, tentando fazer comédia, torna tudo apenas patético. E ainda descolou a inacreditável indicação ao Globo de Ouro.
  • Once Upon a Time – Possuía a premissa mais bizarra da história mas para surpresa geral, mostrou-se um programa divertido e até coeso. Os efeitos são péssimos, mas é possível relevar com tantas referências aos contos de fada. Temporada completa já garantida.
  • Pan Am – A produção é competente e as atrizes são boas mas as histórias são simplórias, ainda que simpáticas. Precisaria de um algo mais para continuar. Os rumores de cancelamento crescem a cada dia.
  • Person of Interest – História confusa, ritmo lento e casos da semana desinteressantes não deixaram eu passar do segundo episódio. Mas garantiu a temporada completa.
  • The Playboy Club – O piloto não era fantástico mas havia um potencial ali. Pena que a série foi vítima do conservadorismo da NBC, que a cancelou rapidamente.


  • Revenge – História tosquíssima, onde uma vingança adquire contornos de caso da semana, com um “bastard” sendo eliminado por vez da lista feita pela megaevil Emily Thorne. Muito ruim.
  • Ringer – O piloto é do tipo ruim mas que dá vontade de ver mais, mesmo que a produção seja meio capenga. Os episódios seguintes não souberam manter o suspense e nem aquilo que a tornava tão ruim, fazendo-me perder o interesse. Apesar disso, garantiu a temporada completa no CW.
  • The Secret Circle – Uma besteira muito grande, com adolescentes emos fantasiados de bruxos e fazendo carão, apostando nessa onda cafona desde Crepúsculo que junta jovens e coisas sobrenaturais. Que lixo!
  • Suburgatory – O piloto é divertido e prometia um texto esperto e ácido. Mas os episódios seguintes mostraram que a criatividade era escassa e as piadas repetitivas. Mas também terá um ano completo.
  • Terra Nova – Uma decepção. A produção começou há dois anos, havia o nome de ninguém menos que Steven Spielberg por trás, um monte de coisa cool como dinossauros e viagens no tempo. No fim, tudo era um GRANDE chatice. E os dinossauros são a coisa mais mal-feita desde a fumaça de Lost. A audiência não foi a esperada e a segunda temporada ainda é incerta.
  • Up All Night – O piloto é fofo, o casal Christina Applegate e Will Artnett é ótimo e tem química mas faltam graça e um ar de novidade. Foi outra que também garantiu a temporada na FOX.

.

Também poderá gostar de:
O midseason vem aí – novidades para 2012

4 Comentários leave one →
  1. 24/12/2011 22:06

    Concordo sobre “Homeland”. De todas as estreias da temporada, foi a que mais gostei desde o piloto e já é um dos melhores dramas em exibição. Dessas, continuo com poucas, mas destaco “Boss” e “New Girl” (amo a Zooey, haha).

    Marcus, um ótimo fim de ano para você!

    • 25/12/2011 15:30

      Eu gosto da Zooey com alguma ressalvas, mas em New Girl, só me deu vergonha alheia. Não consegui nem continuar.

Trackbacks

  1. As melhores séries de 2011 « Melhores Coisas
  2. Balanço do mundo das séries em 2011 « Melhores Coisas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: