Skip to content

Comentários em série

16/05/2011

**CONTÉM SPOILERS**

.

How I Met Your Mother 6×23: Landmarks

How I Met Your Mother e suas liçãozinhas fofas sempre me conquistam. Eu posso não ter rido nada em todo o capítulo, mas a série é mais do que provocar risadas. Eles sempre se preocupa em contar uma boa história e desenvolver os personagens. É interessante como os personagens aqui são sempe tridimensionais e pensam como pessoas do mundo real. Claro que existem os exageros do Barney, mas os conselhos e as conversas aqui muitas vezes são sensatas. Um exemplo foi a Robin dizendo que o Ted iria um dia terminar seu namoro com Zoey e tudo o que ele fez teria sido em vão. É um conselho que eu daria. O episódio divertiu com as rimas do Marshall, a risada maléfica do Barney e sua teoria sobre o poder secreto da vagina. E ainda teve a Robin falando de Angry Birds e fingindo jogar xadrez no parque.

.

.

Community 2×23: A Fisfull of Paintballs e 2×24: For a Few Paintballs More

Todo mundo sabia que o final de Community traria de volta o tema paintball, aquele do episódio memorável e histórico e uma das melhores coisas que já vi na vida. Muita gente, como eu, também estava com o pé atrás por achar que não deviam mexer com um clássico, mas ainda assim havia a esperança de que esse finale poderia superar o original. Infelizmente, não foi isso que ocorreu. Ficou parecendo que os roteiristas trouxeram o paintball por falta de uma ideia melhor e por saberem que já haviam feito uma obra-prima anteriormente com o mesmo assunto. Devo aplaudir a opção de mudar o gênero homenageado. A primeira parte, especialmente, teve a vibe bastante acentuada, com a fotografia em cores quentes, a trilha sonora à la Ennio Morricone, os duelos, e o Fort Hawthorne, imitando um saloon com aquela pseudo dançarina, foi impagável. Já o segundo teve a qualidade um pouco mais baixa. Eu entendi que eles quiseram fazer como se fosse um filme de ação (e as cenas ficaram muito bem feitas), mas acho que não funcionou muito. Ficou um pouco boring. E não senti a vibe Star Wars que foi até anunciada. Houve vários momentos engraçados, como a chuva de tinta, o Troy gritando pra cima e a Shirley querendo ver CSI. Mas ao fim, ficou uma sensação de dejà-vú. Talvez eles deveriam ter escolhido um outro cenário que não fosse o paintball, ou ter feito um outro tipo de paródia. Foi bom, mas poderia ter sido melhor, principalmente se compararmos com a própria série. Com o mundo da TV em geral, com certeza foi muito bom.

.

.

The Good Wife 2×22: Getting Off

Um dos motivos para esse episódio ter sido tão bom foi o caso da semana que teve tudo a ver com o eixo central da série. As cenas em que Alicia e sua cliente conversam sobre fidelidade e monogamia enriqueceram muito a história pessoal da advogada, principalmente quando ela é provocada a questionar se nunca desejou se envolver com um desconhecido na rua e pensa diretamente em Will. Ou seja, ficou tudo numa enorme sintonia. Alicia ainda teve que fazer frente à ex-sogra e fez consultas relâmpago com David Lee, personagem do qual eu gosto cada vez mais e que podia até ser fixo. Enquanto isso, pudemos ver em um episódio só Kalinda tendo emoções extremas: chorando e rindo. Ambos os casos são extremamente raros para um pessoa fria, controlada e que não confia em ninguém. Gosto também que a série constantemente inclui advogados e juízes com personalidades próprias, como foi o caso da Nancy, que apareceu aqui pela terceira vez, utilizando uma doçura e vestindo um personagem dentro do tribunal. Assim, o season finale promete e The Good Wife se mantém como o melhor drama atual. De longe.

.

.

Brothers & Sisters 5×22: Walker Down the Aisle

Levando em consideração a forma como a quinta temporada de Brothers & Sisters estava caminhando, até que esse season finale foi bonitinho. Os roteiristas apelaram para várias ferramentas que fizeram sucesso com os Walkers, como os telefonemas iniciais que geralmente são super divertidos. Neste aqui, não teve como não rir com a complicada teia de ligações telefônicas que uniu os Walkers, sempre com segredos e fofocas que envolveram até as crianças. Fiquei comovido também com a conversa entre Sarah e Brody. Tudo bem que foi ridículo a noiva sair da igreja “pra dar uma volta no quarteirão” bem na hora do casamento.  Mas foi bonito vê-la entrando com o pai. Luc e o restante dos rapazes pagaram um mico enorme com a homenagem a Sarah. Cagaram completamente uma música ótima e nem foi engraçado, só deu vergonha alheia, poderiam muito bem ter passado sem essa. E a Kitty grávida? É possível perceber um imenso cansaço só pela interpretação da atriz, que claramente demonstra não querer mais estar ali. E isso com certeza é transmitido ao espectador. Por fim, faltou Justin, faltou Nora e sobrou Saul e as chatices da Paige. Até achei bom cancelarem a série, mas acho que os Walkers mereciam um final mais digno. Pena.
.

Também poderá gostar de:
Introduction to Comedy Series 101

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: