Skip to content

Os melhores finais de temporada

09/05/2011

No mês de maio, são exibidos os finais de temporada da grande maioria das séries que seguem o calendário da fall season. Por isso, decidi fazer essa pequena compilação com season finales inesquecíveis, aqueles que fizeram cair o queixo e nos deixaram rezando para que a nova temporada começasse. Resolvi também deixar de fora os series finales porque esses já são marcantes por  natureza. Para ser justo, coloquei os episódios em ordem alfabética e escolhi só um por série. Assim, ninguém fica prejudicado. Sinta-se à vontade para sugerir. E, claro,  o texto contém dezenas de spoilers. Qual o seu final preferido?

24 Horas 1×24: Day 1 11:00 p.m. – 12:00 a.m.

A primeira temporada de 24 Horas é uma das melhores coisas que já vi na TV. Inaugurou um tipo de formato super interessante, com um senso de urgência absurdo e ainda nos apresentou a Jack Bauer, um dos personagens mais amados por este blog. Este season finale já começa tenso, com a descoberta de que a Nina Myers, aquela em que todos confiávamos, era a grande vilã da temporada. Depois de quase uma hora sem conseguir respirar, quando todos pensávamos que o perigo havia passado, Bauer encontra sua esposa morta, numa das cenas mais chocantes de que me lembro e algo que definiu a personalidade de Jack em todas temporadas posteriores. Os roteiristas aqui jogaram pro alto qualquer clichê de série e mataram uma protagonista logo na primeira temporada, uma ousadia e tanto que falta a TV atualmente. Os reloginho de 24 Horas se calou naquela noite.
.

Alias 2×22: The Telling

Eu acompanhei Alias com anos de atraso, mas de alguma forma consegui sempre me afastar de spoilers. Por isso, fiquei com o coração na boca ao fim deste The Telling. O episódio, por sinal, fecha com maestria esta que deve ser a melhor temporada da série. Foi neste ano que toda a brilhante mitologia de Alias foi desenvolvida, conhecemos um pouco mais dos complicados laços familiares na vida de Sidney e diversos personagens de índole duvidosa. Neste fim de temporada, Will está desaparecido, provavelmente morto, e após uma sangrenta luta com o clone de Francie, sua melhor amiga, Sidney acorda em Hong Kong sem saber como foi parar lá. Depois de ligar para a CIA, recebe de Vaughn a notícia de que esteve desaparecida por 2 anos. É a hora de soltar aquele famoso “WTF????”
.

Damages 1×13: Because I Know Patty

Damages não é um programa fácil de acompanhar. Antecipando elementos do seu desfecho logo no piloto, a série tem duas linhas narrativas: o presente e o futuro, que viriam, então, a se encontrar no season finale. Aqui, cada cena tinha sempre um função importante para se entender a complicada trama que envolvia Patty, Ellen e cia. tornando esta talvez a série mais bem escrita dos últimos tempos. Neste final, os roteiristas conseguiram juntar com perfeição toda a história fragmentada ao longo da temporada, desenvolver personagens e ainda deixar um plot para o segundo ano. Tudo isso, sem deixar nenhuma ponta solta. Só nos resta bater palmas.
.

Dexter 4×12: The Getaway

Até o seu terceiro ano, Dexter era uma série cujas temporadas foram pensadas como um grande filme com começo, meio e fim, sem que nada fosse empurrado para o ano seguinte ou qualquer tipo de cliffhanger maior. Porém, eis que neste season finale, os roteiristas decidiram inovar e trazer um final chocante até para um psicopata como Dexter. Trinity estava morto, a família tinha ido viajar e nenhuma suspeita caía sobre ele. Mas ao chegar em casa, Dexter se depara com a esposa morta, mergulhada no próprio sangue, exatamente da mesma forma que a temporada começou. O filho Harrison ao lado, fazendo um paralelo com a morte da mãe do próprio protagonista, deixou tudo ainda mais perturbador. Dexter e seu filho nasceram em sangue.
.

Friends 4×24: The One With Ross’s Wedding

Se há uma comédia que deveria entrar nessa lista, ela é Friends, sem sombra de dúvidas. A série constantemente fez finais de temporada com pequenos cliffhangers engraçados, românticos e surpreendentes, como aconteceu aqui. Neste episódio duplo, Monica, Joey e Chandler vão a Londres para o casamento de Ross com Emily. Tem o desentendimento do casal por causa da demolição da igreja, as idiotices de Joey pela cidade e Monica começando a ficar depressiva por estar sozinha, algo que abriria uma porta para o seu caso com Chandler. Ao fim da primeira parte, Rachel resolve ir até Londres e dizer a Ross que o ama. Poderia ter sido tarde demais se o cara não tivesse ficado perturbado com a presença da ex por lá e falado o seu nome ao invés do da noiva bem na troca de alianças. Todo mundo soltou um “ãhn???”
.

Grey’s Anatomy 2×27: Losing My Religion

Eu sei que a maioria vai preferir o final da sexta temporada, quando a Shonda apelou para um atirador, um vilão clássico que cometeu uma chacina no Seattle Grace. Mas em Losing My Relligion, o vilão é a própria vida, mais precisamente as mentes confusas de estudantes aprendendo na marra a virar cirurgiões e, claro, um certo transplante de coração. Aqui, tivemos os depoimentos reveladores dos internos ao Chief enquanto este tentava descobrir quem cortara o fio do Danny e presenciamos a cena de sexo mega intensa entre Meredith e Derek. No entanto, o mais marcante foi mesmo saber que Izzie conseguiu salvar seu paciente e ainda receber uma proposta de casamento logo em seguida. Tudo para que minutos depois ele viesse a falecer e a moça protagonizar uma das cenas mais “nó da garganta” de que me lembro. Alguém consegue se esquecer da Izzie chorando abraçada ao seu ex-futuro marido? Eu não.
.

Lost 3×23: Through the Looking Glass

Se tem uma coisa que Carlton Cuse e Damon Lindelof sabiam fazer era season finale. Com exceção do último, todos os finais foram pontos altos da série e este, da terceira temporada, ficou marcado pela primeira inserção dos flashforwards, algo que só ficou claro na cena final. Ao longo do episódio, vemos Jack viciado em analgésicos indo num velório de uma pessoa desconhecida e depois marcando um encontro que virpiamos a saber que era com Kate. O mais chocante, no entanto, foi vê-lo dizer que fica voando de avião esperando que ele caia e pedindo a ela: “Kate, we have to go back!”, algo que contrastou com a sua obstinação em sair de lá vista durante o capítulo na ilha. Foi aqui também que Lost perdeu Charlie, na clássica cena em que ele escreve na própria mão: “Not Penny’s Boat”. Pior é saber hoje o quanto ele fez falta nas três temporadas seguintes.
.

The O.C. 1×27: The Ties That Bind

Para ser democrático, decidi colocar pelo menos uma série teen e essa é das boas, pelo menos as duas primeiras temporadas. Ao final do primeiro ano, Ryan decide voltar pra Chino e criar seu filho com Teresa e assim não repetir o que seu próprio pai fez com ele. A despedida final ocorre no casamento do Caleb com a Julie e não tem como não se emocionar com as cenas finais. Ryan e Marissa dançando ao som de Maybe I’m Amazed, Seth em negação e depois fugindo no veleiro ao pôr-do-sol, Kirsten chorando com os lençóis na casa da piscina e a partida de Ryan sendo mostrada da mesma forma com que ele chegou, um close no rosto refletindo as mansões e a Marissa esperando na entrada da casa ao lado. Uma rima temática bonita ao som da belíssima Hallelujah.

One Comment leave one →
  1. 10/05/2011 13:19

    Adorei ver Damages e Lost…

    Mas é uma pena que ainda não alcançou Six Feet Under. Quando chegar lá você vai querer refazer essa lista toda!

    Hahahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: