Skip to content

Comentários em série

14/11/2010

**CONTÉM SPOILERS**


Grey’s Anatomy – 7.08: Something’s Gotta Give

Esse episódio começou bem mal, devo dizer, mas melhorou significativamente nos 10 minutos finais, quando ocorreram cenas que evitaram uma chatice completa. Pra começar, o caso do líder do Oriente Médio não foi muito interessante e não criou nenhum clima de curiosidade pra saber quem era o paciente ultrasecreto. A suposta virada que deveria ter ocorrido com a revelação de um segredo confessado a Meredith nada mais foi do que um motivo pra colocar a Teddy e Derek trabalhando juntos e intensificar um conflito entre eles. Tudo muito sem graça. Foi bem estranho ver Christina e Callie andando no shopping, falando besteiras e escolhendo móveis. Não combina nem um pouco com Yang fazer aquela que fica passeando e tomando sorvete por aí. Pelo menos o Derek percebeu que ela precisa de um tempo e que conversar sobre certas futilidades pode dar a ela um distanciamento e uma nova perspectiva. Mas ainda tenho medo disso tudo cair no maior clichê e a história enrolar ainda mais. Já o rolo do Karev e da April foi a coisa mais rápida do mundo, e aquela cenina entre os dois bastante sem sentido.  A cena em que ele confessa a Meredith todos os seus problemas familiares foi realmente bonita e ele é mesmo um dos melhores personagens, mas ainda assim ficou um pouco a sensação de que tudo foi meio forçado. Pior foi ela chegando na festa e começando a chorar para o Hunt, depois sendo salva pelo Avery e gerando uma briguinha de adolescentes. É triste constatar que Grey’s Anatomy já foi bem mais sensível e sutil ao tratar os dilemas de seus personagens.

.

.

The Good Wife – 2.06: Poisoned Pill

Vitória ou derrota na justiça é apenas questão de ponto de vista. Porque lá estavam todos da firma, felicíssimos pelo sucesso no caso contra a indústria farmacêutica, certos de que conseguiram o melhor acordo possível. Mas então apareceu o personagem do Michael J. Fox e jogou na cara de Alicia a verdade sobre quem era o vencedor ali. É provável que ela nunca diga a ninguém o que ouviu naquele momento, mas com certeza ela não vai olhar para o restante de sua equipe com os mesmo olhos. Aliás, é preciso destacar aqui a participação de Fox como um advogado que sofre de uma deficiência. E o personagem caiu como uma luva para o ator, que deve ter usado sua própria doença, o Mal de Parkinson, na composição do Sr. Canning. Vale ressaltar também que novamente The Good Wife traz algum elemento novo, dessa vez, um advogado que usa sua deficiência como arma para macular o júri. E aí, a briga de Davi contra Golias muda completamente. Foi interessante também ver os bastidores da campanha de Peter, com o Eli tendo que se virar para arranjar algum podre na vida da nova concorrente. A existência daquele vídeo que tira sarro da plástica feita por Wendy mostra que as disputas políticas de lá não são muito diferentes das vistas por aqui. E o Eli foi esperto ao manipular o chefe de campanha do Glenn mesmo quando se descobriu que a operação foi fruto de um câncer da candidata. Pelo menos a imagem do grande rival de Peter ficou bastante abalada. Por fim, a concorrência entre Kalinda e Blake atingiu um novo patamar com o aparecimento do passado suspeito do rapaz, enquanto ele descobre a homossexualidade da investigadora, ameaçando torná-la pública com o aparecimento de um antigo affair. Como os dois são investigadores, ficará difícil esconder qualquer segredo. Pelo visto, está vindo um jogo de gato e rato por aí.

.

.

Raising Hope – 1.07: The Sniffles

Achei bem mais ou menos esse episódio, viu? Parece que a série entrou num piloto automático e toda semana Jimmy aprende uma liçãozinha fofa com seus pais, aprende que ser pai é mais difícil do que ele pensava etc… Apesar de ter rido com aquele quarentena improvisada por causa da gripe, senti muita falta da Maw Maw, que é com certeza a personagem mais engraçada da série. O episódio começou bem, com a musiquinha impagável da babá. Cheguei a pensar que ela estaria no restante do capítulo, mas ai ela sumiu e foi uma pena, pois é uma ótima personagem. O resto foi aquela mesmice de sempre, com momentos poucos inspirados e um final apenas bonitinho.

4 Comentários leave one →
  1. 15/11/2010 0:33

    Putz, só agora que vi esse episódio de The Good Wife. Muito foda, né. A forma como eles se utilizam das tramas jurídicas e políticas é sensacional.

    E Kalinda, heim, que diria. A mulher é desalmada mesmo. E Michael J. Fox esteve muito bem nessa participação. E a reviravolta final já valeu por si!!

    Ah! Só posso falar dessa porque ainda não vejo Raising Hope (embora esteja me programando para isso) e nem esse novelão que é Grey’s. Hehehehe

  2. Carol permalink
    18/11/2010 13:51

    Como falei no Twitter, a única coisa que prestou em Grey’s Anatomy foi o cabelo novo da Callie!
    AMEI!
    É uma pena ver a série ficando tão chata e pior ainda é ver que minha personagem favorita, a Christina, virou o que virou…

    • 18/11/2010 14:13

      Eu gostei do cabello da Callie também, agora quero ver ela chegar lá no hospital assim, a credibilidade vai lá embaixo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: