Skip to content

Comentários em série

17/10/2010

**CONTÉM SPOILERS**


Glee – 2.04: Duets

Ainda nem sei direito a razão, mas a verdade é que gostei muito desse episódio. Claro que os roteiros ainda são um fiapo, alguns diálogos completamente vazios, tudo é efêmero demais, mas achei tudo bem no seu devido lugar essa semana. Gostei de que quase todos tiveram algum destaque, até quem só fica atrás dançando, como o Mike Chang, num número de certa forma metalinguístico sobre o fato de ele não saber cantar. Entre as duplas inesperadas, estavam Mercedes e Santana, num número surpreendentemente divertido. Mas a maior sacada foi mesmo Brittany e Artie. Ela, a maior galinha da escola e que achava que ele era um robô, resolve transar com ele, que mal sabia se iria sequer perder a virgindade. E tirando o fato de ter caído um pouco no dramalhão, ri muito com ela fazendo a cena do macarrão sozinha e acho que os dois têm futuro juntos. Diferentemente do que se pensava, Sam veio fazer par com Quinn e os dois combinam. Apesar de eu achar que o Kurt estava mesmo exagerando, é fácil imaginar como deve ser pra ele viver sozinho nesse High School. E parece que perceberam que o Chris Colfer é o melhor ator da série, porque já está quase como protagonista. Por fim, adorei a Rachel sendo egoísta mesmo quando não quer, a personagem é muito mais legal quando arma e usa os outros buscando o benefício próprio. Só que se eles queriam perder, por que simplesmente não desistiram ao invés de inventarem um número “rude”? Vai entender…

.

.

The Big C – 1.08 : Happy Birthday, Cancer

Acho que nem Cathy se lembrava mais do quanto ainda podia ser feliz. Para relembrar, foi preciso uma festa surpresa de fato surpreendente, porque nem ela, e nem o espectador, esperavam que sua  família chata fosse realmente querer comemorar seu aniversário.  Quando o tema surgiu, pensei que o ponto alto do seu dia seria o bolo de casamento com a Marlene. Mas Paul e cia. organizaram uma festa com direito a antigas amizades e até ao amante, sem ninguém saber, claro. E Cathy precisou da ex-amiga para relembrá-la de como era feliz há 20 anos. Quem diria que ela gostava de karaokê, quase fez uma tatuagem na bumbum, e costumava ser fotografada sem camisa em sorveterias? Foi uma Cathy diferente a que conhecemos essa semana. Paul também chegou a ganhar mais a minha simpatia durante a conversa com Lenny e depois com o discurso, mas o jogo virou quando ele percebeu que não fez sua esposa feliz por 20 anos e surtou dando um chilique. E outro que vem irritando menos é Adam, primeiro com a brincadeira do bukkake e depois ajudando a Marlene, cuja doença parece estar se agravando mais rapidamente do que o câncer de Cathy. No fim, eu torci para que ela fosse sim viajar, mesmo tendo se divertido muito no seu aniversário. Cathy deve aproveitar ao máximo o tempo que tem, e a estratégia de manter tudo em segredo tem sido um sucesso.

.

.

The Good Wife – 2.03: Breaking Fast

Mais um ótimo episódio de The Good Wife confirma que os escritores dessa série estão mais inspirados do que nunca. Achei muito interessante o caso do cara querendo limpar o nome do pai e pedindo uma indenização pela morte do mesmo, causada pelo estresse da acusação nunca provada. É notável perceber que a própria justiça pode ser processada quando erra e também faz acordos evitando julgamentos contra ela mesma. Se antes a firma resolve afastar Alicia devido aos seus problemas pessoais com Glenn, logo percebe que pode usar isso para intimidá-lo num interrogatório. E se semana passada foi Cary quem passou pelo banco das testemunhas, agora foi a vez do próprio promotor responder às perguntas da advogada. Enquanto isso,  Alicia recebeu a visita do irmão gay, depois que ele é filmado acusando Peter de homofobia. Para despespero de Eli, isso significa perda de dinheiro doado por organizações que apóiam a causa. Como se não bastasse, Peter ainda é visto segurando um livro que gera dúvidas quanto à sua posição no conflito Israel x Palestina. Nada como um jantar para desfazer as más impressões. Política lá também é um jogo de cena. Achei estranho terem abandonado o perfil fake do filho do Glenn e o gancho com uma suposta ligação suspeita entre Will e o novo sócio, mas é provável que isso seja retomado nos próximos capítulos. E a concorrência entre Kalinda e o investigador anda bem devagar, além de ser meio sem propósito, aquilo que ela descobriu não foi nada demais.

.

.

The Event – 1.04: A Matter of Life and Death

Essa série ainda está no sinal amarelo. Não me conquistou totalmente, mas também não tenho vontade de largar. O quarto episódio pode não ter sido tão bom quanto o anterior, mas com certeza manteve o meu interesse. Um grande trunfo aqui são os protagonistas Sean e a policial gente boa, ambos carismáticos e carregam a história nas costas. Já Leila, que era pra ser o par do Sean, é meio chatinha e a atriz um pouco fraca. Além disso, os flashbacks deles há 5 anos são completamente inúteis, a não ser que forneçam alguma pista para os mistérios, algo que parece não ocorrer. E gostei da pequena reviravolta com o plano para atrair o Sean, apesar de ter tido aquela ceninha copiada de “O Silêncio dos Inocentes” em que eles aparecem na casa errada. Enquanto isso, a trama dos ETs caminhou bem pouco. Pode ser viagem minha, mas acho que eles injetaram algo nos passageiros do avião, podendo assim controlar seus sintomas. Por isso o sangramento nasal, a fim de pressionar o Presidente. Mas isso continua bastante desinteressante e aquele presidente não tem o menor carisma. De qualquer forma, acho que esse seres devem ser melhor trabalhados, nem que seja para odiá-los ou amá-los. Do jeito que está, só gera indiferença.

One Comment leave one →
  1. 17/10/2010 13:29

    Nossa, toda semana eu assisto The Big C como “a série da Laura Linney”, mas aos poucos, estão ganhando uma identidade própria, o que é muito bom. Amei ver Cynthia Nixon aparecendo. A minha dúvida é se foi só uma participação ou será uma personagem recorrente.

    Já The Good Wife nunca falha, é impressionante. Posso estar tendo memória curta, mas não lembro de algum episódio que possa ter me decepcionado completamente. Neste, os únicos pontos desisnteressantes mesmo foi a historinha paralela de Kalinda e Blake, como você bem mencionou.

    Mas vamos ver mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: