Skip to content

Primeiras impressões: Boardwalk Empire

22/09/2010

Trazendo a marca HBO, escrita pelo mesmo Terrence Winter de Sopranos, e dirigida por ninguém menos que Martin Scorsese, Boardwalk Empire chegou nesse fall season cheia de expectativas. Conseguiu cumprí-las? Veremos.

Eu amo Cinema, vejo um filme na tela grande pelo menos uma vez por semana. Sou fã do Martin Scorsese e recebo muitas influências vindas da sétima arte. Por outro lado, devo confessar que não sou fã de Sopranos e não gosto muito do estilo lento da série, seguido também por outras como Mad Men. Por isso, ainda não decidi se gostei ou não de Boardwalk Empire.

Tecnicamente, a série é tudo aquilo que se pode imaginar e ainda mais. Me atrevo a dizer que esse talvez seja o seriado com o mais próximo tratamento de Cinema que já vi, algo comprovado pelo orçamento de 18 milhões de dólares gasto só no piloto. É impressionante a capacidade de recriação de época e a forma como a série consegue nos transportar para os anos 20. Além de que é visível a mão de um diretor extremamente competente como Scorsese. Simplesmente perfeito.

A série conta a história de Nucky Thompson (Steve Buscemi), um político de Atlantic City que tem forte ligação com o mercado negro e o tráfico de bebidas, já que a lei seca acabou de ser implementada. Ele conta com a ajuda do seu irmão Jimmy Darmody (Michael Pitt), um soldado que chegou há pouco da Primeira Guerra e ainda se mostra abalado pela experiência. Outra personagem de destaque é Margareth (Kelly McDonald), grávida do terceiro filho e que pede a Nucky um emprego ao marido.

Na verdade, Boardwalk Empire mostra toda uma rede de corrupção, máfia e tráfico que existe naquela cidade. São diversos coadjuvantes, entre eles ninguém menos que Al Capone, numa época em que seu nome não dizia nada. São cerca de 70 minutos com informações demais para digerir.

Porém, tive a impressão de que pouca coisa aconteceu e, sim, a série tem aquele estilo meio lento que citei acima, o tempo do episódio parece bem mais longo do que é. Além disso, não achei o roteiro nada excepcional, não percebi nenhum diálogo brilhante e a história não  é tão interessante. As atuações são apenas ok, e achei Steve Buscemi um pouco estranho, ainda precisa achar o tom.

Talvez as minha críticas venham das altas expectativas que cultivei, mas confesso ter ficado um pouco decepcionado. Estou, sim, interessado pelo próximo, as credencias da série praticamente me obrigam a isso. Mas espero mesmo que quando o próximo episódio terminar, eu tenha o êxtase que não tive aqui.

3 Comentários leave one →
  1. 23/09/2010 11:14

    Fiquei com vontade de conferir a série. A princípio me interessou. Vou seguir lendo suas próximas impressões para decidir melhor. O foda é não ter HBO…

  2. 23/09/2010 11:14

    Ah! Bora marcar uma sessão no festival, sim!

Trackbacks

  1. Emmy 2011: palpites e favoritos « Melhores Coisas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: