Skip to content

True Blood 3×09: Everything is Broken

06/09/2010

**CONTÉM SPOILERS**


O Rei da Louisiana, de fato, reinou nesse episódio. Apesar de aparecer pouco, ele de destacou com seu jeitão de Ronaldo Ésper e uma ótima atuação do Dennis O’Hare, em um capítulo onde muito aconteceu e algumas tramas foram mais desenvolvidas.

Logo no início, ele já mostrou a que veio quando ficou chorando e remexendo nas tripas do Talbot. Em seguida, apareceu com os restos mortais (somente sangue) do amado em um vaso, como se fossem cinzas. Porém, a cena final nos relembrou porque gostamos tanto de True Blood. Foi demais vê-lo arrancando o coração do apresentador e depois falando em rede nacional segurando o pedaço do homem na mão como se fosse um souvernir qualquer.

Russell foi muito esperto colocando a humanidade contra os vampiros, mas acho que isso deveria ter sido desenvolvido antes, já que tão próximo do fim ficará difícil de explorar tudo que isso pode render, a não ser que seja empurrado para a próxima temporada. De qualquer forma, foi uma cena memorável, e não tem como não amar um personagem que faz aquilo e depois vira para a Tiffany perguntando sobre a previsão do tempo.

O Bill, quem diria, também não sabia o que é a Sookie. Bebeu um pouco do sangue dela e foi parar na realidade paralela das fadas com a fonte de água vinda de Lost. E ainda tomou uma luz (oi?) na cara para aprender que ser vampiro lá no outro mundo não é assim grande coisa. Pelo menos a moça parece ter dito para ele, finalmente, a resposta que todos queremos ter. Espero mesmo que não enrolem e mostrem tudo logo no próximo. Mais uma criatura bizarra para a já vasta enciclopédia de True Blood. E não vai parar por aí.

Quem também parece estranha é a loirinha por quem o Jason se apaixonou, principalmente quando disse que o marido não podia ser algemado, somente amarrado. No mínimo, esquisito. Assim como o Jesus, que deve ter algo a ver com macumba ou coisa do tipo, senão esse seu caso com o Lafayette vai ser bonitinho e só. E em True Blood nada é assim.

A Tara voltou a ser chata, ouvindo as histórias tristes das outras mulheres, confesso, não me comoveu. Além disso, a cena com a aparição do Franklin foi completamente inútil e até frustrante, pois o personagem era bom e eu fiquei feliz, ainda que momentaneamente, de vê-lo de novo. Pior é morrer pelas mãos do Jason, que parece ter ficado inteligente colocando balas de madeira e pensando em estratégias para pegar os traficantes.

Ainda tivemos novamente o casal Jessica e Hoyt, ele finalmente confessando não gostar da atual namorada, agora imagina se alguém não iria achar aquela mulher insuportável. Arlene também ficou  parecendo maluca, achando que espera um filho maligno e recebendo conselhos de uma mulher que aparece do nada. Essa parece ser bem suspeita, tendo tanto interesse pela história da garçonete. Tudo bem que o aborto é ok, mas não por esse motivo.

De qualquer maneira, Arlene ainda serviu para fazer mimimi pro Sam que, putz, cada vez piora mais. Nem uma cena dele, totalmente forçada,  espancando o pai da loirinha, salva mais. Se não forem inventar nada melhor, deveriam matar o personagem, ou pelo menos o irmão mala. Seria bem mais digno.

Comentem!

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: