Skip to content

Comentários em série

06/08/2010

**CONTÉM SPOILERS**


Rookie Blue – 1.04: Signals Crossed

Adoro como a série vem mantendo uma regularidade imensa, já que mais uma semana tivemos um ótimo episódio. Dessa vez, foi dado um enfoque menor aos dramas dos personagens em detrimento da ação no trabalho dos policiais, mas ainda assim pudemos saber mais sobre eles. Finalmente foi dado mais destaque aos personagens masculinos. Chris pode não ter tido uma grande história, já que se fingir de gay não é nada demais, mas a impressão que deu é que o personagem é sim um homossexual que não se descobriu. Isso poderá ser muito interessante, mostrando um gay fazendo parte de uma corporação como a polícia e os problemas que podem surgir daí. Já Dov, aquela pessoa super inteligente que escolheu ser policial, vive querendo provar a si mesmo que é capaz e acaba exagerando. Como o outro parceiro disse, é preciso colocar o pé no freio. Por fim, Andy continua como minha favorita, uma personagem que eu achava muito perfeitinha, mas que também comete erros. E adoro o casal formado por ela com o detetive. Até gosto do Sam, mas para mim, por enquanto, ele não tem a menor chance.

.

.

Gravity – 1.10: Are We All Just Dead?

Gravity nunca teve uma grande história, não era nada demais, mas eu gostava. Fui me apegando aos poucos, já que o estilo é meio esquisito, o clima oscila com muita rapidez entre o drama e a comédia e há espaço até para o policial, como ocorreu nesse series finale. Dito isso, é com certa tristeza que recebo o fim definitivo de Gravity, principalmente se considerarmos que não ocorreu, de fato, um desfecho. A série foi cancelada sem que os produtores pudessem terminar a história, ou talvez eles contassem com a renovação para a segunda temporada. Mas a verdade é que vou sentir falta de Lilly, Robert e até do policial esquisito, que teve a chance de protagonizar uma grande cena ao contar que tem câncer. O series finale não surpreendeu, não chocou, não fez chorar, mas foi coerente com tudo que passou antes, e contou com diálogos lindos como sempre. Fico com pena pela equipe responsável pela série e seu fim prematuro. Espero ainda ver mais do criador Eric Schaeffer, que ainda dirige e atua como o policial Miller. E também a Krysten Ritter, que faz a Lilly Champagne, uma ótima atriz que ainda não teve o seu talento devidamente reconhecido.

.

.

The Hard Times of RJ Berger 1.06: Over the Rainbow

RJ veio com tudo nesse sexto episódio, e acertou ao seguir a dica do pai de deixar de lado a Ferrari e pilotar um carango, uma metáfora genial, devo dizer. E a dica valeu também para os próprios roteiristas, que fugiram um pouco do enfoque dado somente a Jenny. Como tudo é propositadamente exagerado, só nos resta a diversão em cenas sem noção, como a conversa constrangedora de RJ com seu pai e a mãe excitada com as lembranças de colégio. E gostei da nova vizinha, agora parece que o protagonista terá uma namorada e ainda por cima casta, podendo render várias histórias.

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: